Estou ciente de que os dados fornecidos são exclusivamente para cadastro mencionado no formulário. Após finalização, os dados serão armazenados pela Progus Contabilidade de forma segura, apenas com a finalidade de manter histórico de atividades realizadas e sem hipótese de transmissão a terceiros, conforme Lei Nº 13.709 - Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)
Área do Cliente:

Inflação de 2021 fecha com alta de 10,06% e é a maior desde 2015, segundo IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta terça-feira (11) o resultado da inflação em 2021, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Ao longo do ano houve o acúmulo de 10,06%, apresentando alta de 0,73% apenas em dezembro, batendo recordes e se tornando a maior taxa acumulada desde 2015, quando alcançou 10,67%.

A inflação oficial, portanto, ficou consideravelmente acima da meta proposta pelo Banco Central e o Conselho Monetário Nacional, que definiu a meta central como 3,75% e teto de 5,25%.

Segundo o IBGE, o resultado final acabou sendo muito influenciado pelo grupo de transportes, que teve variação de 21% no acumulado do ano, seguido pela habitação com alta de 13,05% e alimentação/bebidas com 7,94%.

Em 2022 o consumidor brasileiro deve continuar atento à inflação e o impacto dessas elevações no bolso, para que não tenha um problema nas finanças a longo prazo.

Confira quais os itens que mais foram impactados pela inflação em 2021:

  • Etanol: 62,23%
  • Gasolina: 47,49%
  • Botijão de gás: 36,99¨%
  • Conta de luz: 21,21%
  • Veículos novos: 16,16%
  • Produtos farmacêuticos: 6,18%

Fonte: Contábeis | 13/01/2022